Nosce te Ipsum

"Um quadro só vive para quem o olha" - Pablo Picasso

(Nosce te Ipsum)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Somos Uma Espera



SOMOS UMA ESPERA

Caindo pelas grades da minha infância

Com amigos de minha mesma face

Corro junto-sozinho

Aos tropeços na tentativa de ser alguém

Arranhando-me pelas matas da estrada

Vejo meus Nietzsches e Sartres chorarem

Levanto-me de joelhos ralados

Sem ter muito tempo

De me preocupar com qualquer autopsicografia

Pois o único fingimento é tentar ser eu mesmo

E no fim da brincadeira de ser gente

Não posso nem ser barata

Mas tenho de ter a casca grossa

Pra não ser esmagado por qualquer Kafka

Não adianta brincar de criar cidade

Quando os homens maus são os reis

E os bonzinhos não têm estudo para serem heróis

E dizer que parecer justo

E ser na verdade injusto

Nem parece uma maiêutica socrática

E então, quando eu estiver bem positivo

Talvez alguém me Comte

Que o lado negativo disso tudo

É que meu nariz apontará

Para meu objetivo

Como um Sêneca feliz ou Clarice chorosa

Apontam para o fim da brincadeira

Onde Freud explica que a curiosidade de Einstein

É a espera do nada.


(Por Marcos P. S. Caetano)




P.S.: Peço desculpas, a todos os que desde o início me acompanham nessa jornada da escrita, devido a minha ausência indiscriminada. Porém, para felicidade, e pesadelo, de uns ou outros, retorno ao blog para continuar acariciando a existência com uma possível arte.

Um abraço a todos, e será gratificante revê-los.

8 comentários:

  1. Que volta magistral!!!!
    estava com saudade dos teus textos, meu caro, realmente.
    Espero que esteja tudo bem contigo.

    Grande abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Caetano, q bom te ler com tão grande intensidade, e como sempre, talento!
    Que o seu regresso seja sempre diario..hehe..ou semanal!
    Bjo e bom fds

    ResponderExcluir
  3. cara, li seu comentario no meu blog agora.
    jah faz um tempo q eu saí do blogs de quinta, por isso fiz aquela poesia em homenagem ao grupo.
    pra voltar acho q eh soh falar com o carlim!
    valew!

    ResponderExcluir
  4. Ei cara, fique sabendo que também sinto saudades de você.
    Sabe, na última vez que fui na sua casa e você nem ao menos me recebeu, eu fiquei com raiva, sai te xingando pelos quatro cantos do mundo. Mas hoje em dia vi que você precisava de um tempo pra poder se reerguer novamente. Desculpa não ter ido na sua casa como prometi, mas é que ultimamente eu não serei uma boa companhia, acredite. Tô meio que passando por uma metamorfose nesses últimos meses. Aquela casca que existia antes, está aprendendo agora a voar. Tenho que enxergar o mundo como realmente ele é e não como eu quero que ele seja. Sempre fui ingênuo demais e o mundo me esmagou de um jeito que nem sei definir-te. Mas enfim, talvez eu volte um cara vazio, racional e mais ranzinza ainda. Por isso tenho que aprender a conviver comigo mesmo pra não machucar as pessoas que realmente importam pra mim. E você sabe que sempre foi e será meu melhor amigo.
    Bom acho que é só isso. Ultimamente entro na net, mas pelo celular, pois ainda não chegou gvt por aqui. Qualquer coisa nos falamos por aqui mesmo. Mande-me notícias suas. Como está indo o tratamento? Ah... Acredite, "Todo carnaval tem seu fim", só que muitas vezes não estamos preparados pro final, ou somos covardes por não querermos começar tudo de novo. Entendeu? Ah... Com relação a "Morena" ainda estamos juntos, bem ou mal, ainda seguimos... Lutei demais por nós dois, agora é a vez dela suar um pouquinho com essa minha nova mudança.

    p.s.: to adorando os textos. São autobiográficos?

    Um abraço meu amigo!

    ResponderExcluir
  5. Caetno,valeu pela visita lá no blog

    E esse texto - nossa! - com tantas referencias que até fiquei tonto hehehe. Gostei do jogo de ideias feito em cima dos nomes dos escritores e filósofos.

    E a gente se vê pelo bosque das Letras.
    Até

    ResponderExcluir
  6. LIndo, adorei seus joelhos ralados....

    ResponderExcluir